quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Dia de trabalho

E vamos deixando a tristeza de lado , pois não vale a pena.
Preocupação pode ! Tristeza não. Deus no comando e assim vamos nós

Vamos ? Para onde ?
Enquanto há saúde, vamos com todo desempenho.
Eu ando num desânimo muito grande de ir às feirinhas.
Devagar quase parando. Só frequento duas.
Eu que achava que , desistindo de algumas, o tempo iria render ! Que nada ! Mal tenho tempo para produzir algumas peças !
E se produzo, desanimo também. Ah meu nome poderia ser Zizidesanimada . Não claro que não.

O público está cada vez mais exigente. Com a grana curta, procuram peças muito bem elaboradas e diversificadas. A tal moda muda rapidamente . Se procurarmos por tendências , encontramos. Mas aí vem os detalhes , e esses mudam rapidamente.
Eu cansei disso.


Vejo os olhares das clientes divagando e logo fecham a cara . Não. Não é isso que estão procurando.
Eu pesquiso, pesquiso. O dinheiro curto não me oferece grandes possibilidades de mudanças. Então chego a seguinte reflexão : está na hora de parar ? ou continuar ?


Algo dentro de mim, impulsiona por mudanças. Mas , olha , vou te contar ! Não está fácil não.
A crise trouxe pessoas exigentes e mal humoradas. Se não podem comprar ouro, compram prata .
Essa é a grande vilã da concorrência. Está bem,  então . Eu não aprecio muito a prata. Requer limpeza e também é cara .

Parti para uma linha de biju feitas com plástico , tecidos e cápsulas de nespresso.
Vende ? Sim. Mas pouco.
A preferencia são as bijus de metal ou com enfeites em pedra .

E assim, vou eu .
Acima estão as imagens de uma arrumação de feira.
Nessa eu vou de metro com um simples carrinho de feira. Abarrotado.
Não posso esquecer o banquinho, o forro da mesa ,  guarda chuva, capa, e a necessaria com repelente e protetor labial.
São tantas coisinhas que tudo fica pesado para essa senhorinha resistente e teimosa.

Mas eu vou . Hoje era pra ter ido. Desisti.
Amanhã quem sabe . Sexta e domingo são obrigatórias. Não posso faltar .
E a temperatura está aumentando. O verão chegando. As chuvas também .
Ao ar livre, é uma odisséia .
Uma maravilha !
Mas eu estou lá , firme e forte



Viva Bem

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Solidão



Primeiro pássaro
Chega e canta.
Canta e escuta:
Para e escuta:
com os ouvidos, com os olhos, com as penas.
O silencio da manhã é um longo muro, ainda,
entre este mundo e o céu.
Escuta e canta.
Canta e para.
Para e parte.
Devia ser a primavera.
Mas não houve resposta.
Na solidão se perde o inquieto canto prematuro.
Perde-se no silencio o antecipado pássaro.
talvez triste.
– Cecília Meireles, no livro “Poemas italianos”. 1968.

daqui

Cada vez que fico um pouco triste eu recorro a poesia de Cecília Meireles.
São raras vezes. E essas raras vezes eu registro aqui.
Primeiro busco uma imagem e busco a inspiração na Cecília.
Para falar a verdade poesia não é minha paixão. Sendo assim eu busco a inspiração na primeira poetiza que venero : Cecília. Suas poesias casam com minhas imagens , batem fundo no sentimento que permeia o momento. Fico introspectiva . Fico quieta , amadurecendo meus pensamentos e buscando as soluções .Fico satisfeita.

Poderá também gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...